Valores invertidos

Sinceramente, nada mais me espanta na nossa digníssima sociedade de valores invertidos onde procurar alternativas mais respeitosas para se viver e se relacionar com as pessoas e com a natureza é uma ofensa, quase um crime e o normal é deixar a vida te levar como se não houvesse amanhã.

Na semana passada a nutricionista e apresentadora Bela Gil foi achincalhada na internet por postar a foto da merenda de sua filha. Essa aí, com granola caseira, batata doce, banana da terra e uma garrafinha de água.

marmita bela gil

Comentários ofensivos choveram sobre a apresentadora, acusada de castigar a filha oferecendo comida nojenta.

Certo, não é?

Felizes são as crianças que todos os dias levam uma caixinha de “suco” ou de achocolatado, em que a concentração de açúcar é maior que a do saborizante.

Felizes são os que levam salgadinhos industrializados, cheios de sódio ou biscoitinhos recheados, com bastante gordura hidrogenada.

Felizes os que ganham dinheirinho dos pais para gastar nas cantinas repletas de frituras e de refrigerantes.

Eles é que são felizes por desfrutarem das “delícias da infância”! Pobre da filha da Bela, fadada a comer comida de verdade…

O que se esquecem é que as crianças “felizes” com a merendinha de hoje, serão os adultos de amanhã a lotar academias, tomando suplementos e ansiolíticos e comprando revistas com dietas milagrosas em busca de um corpo perfeito a qualquer preço. Serão os clientes perfeitos da indústria farmacêutica para controlar hipertensão, diabetes e outras patologias resultantes de um mau hábito alimentar.

A indústria alimentar é suja minha gente, as propagandas são lindas e convincentes, mas no final o objetivo é sempre VENDER, ou você acha mesmo que seu filho vai aprender a comer frutas tomando um suco de caixinha que de fruta não tem mais nada? Ou acha que ele vai desenvolver sua capacidade criativa porque toma um achocolatado radical? Ou é ingênuo a ponto de acreditar que uma garrafa de produto químico de cola vai promover a união da família! Ah, me poupem!

O que a indústria nos vende é uma falácia. Coca-cola plus por exemplo. Sabe o que dá um plus na sua vida, não tem calorias e é rico em sais minerais? ÁGUA!!!!

coca cola plus

O refrigerante de cola fornece outros tipos de plus

coca cola

Se pudéssemos veicular esse tipo de imagem nas TV’s, talvez as pessoas não se admirasse tanto em ver mães optando por não oferecer esse tipo de dieta aos filhos. As fotos a seguir são de Peter Augustus e você pode ver mais aqui

nuggets

deliciosos nugguets feitos 100% de peito de frango – #sqn

salsicha

Intestino de ave + gorduras + peles + saborizantes + corantes + conservantes = salsicha de frango! Delícia né?

Talvez se houvesse propaganda de comida de verdade as pessoas passassem a acreditar que elas valem a pena.

nutritivos e tv

“Não entendo, nutritivos acessíveis. Porque não nos comem?” – “Porque não estamos na TV”

Pensar numa alimentação saudável a começar da introdução alimentar exige coragem e determinação das famílias para enfrentar os olhares preconceituosos, os pitacos e conselhos não solicitados e seguir em frente com o foco na qualidade de vida de todos. É ignorar quando te disserem que leite materno não sustenta e que a criança precisa de um engrossante (que tem mais de 90% de açúcar em sua composição!) É manter sua posição de negar quando vierem oferecer doces e guloseimas que não tem nenhum valor nutritivo. É remar contra a correnteza e respirar, respirar, respirar!

refeição filipe

Sim, já ouvi muita asneira do tipo “mas você não vai impedir que Filipe desfrute das delícias da infância, vai? Ele precisa ser feliz!”. Nesse momento, cara de paisagem “mode on” e vida que segue. Meu filho não precisa de açúcar, sal e gordura para ser feliz! A felicidade dele é construída de outras maneiras, incluindo aí a forma saudável como ele se relaciona com a comida. Não estou formando um indivíduo dependente da industria alimentícia, mas alguém que saiba apreciar comida de verdade, unindo prazer e saúde em sua relação com o alimento.

brocolis

Sugiro a leitura da resposta da Bela Gil às críticas que recebeu.

Anúncios

4 comentários sobre “Valores invertidos

  1. Pois é,amada. Quando Daniel era pequeno fiz de tudo para evitar a entrada dessas”delicias” em casa.Aquilo que a criança nunca experimentou não vai fazer falta e,portanto,não a impedirá de ser feliz. Mas quando se tem um marido sem consciência e uma família que pega seu filho pra dar uma volta e devolve seu filho com a barriguinha cheia de hambúrguer,refrigerante e doce,o estrago já foi feito.E ainda me criticavam por lhes chamar a atenção por isso.Quando se tem parentes que não só metem o pitaco,mas pelas suas costas viciam seu filho,o que fazer?Parei de deixa-los ficar algumas horas com meu filho e me declararam guerra.Anos mais tarde ele ficou acima do peso e fui obrigada pela médica a submete-lo a uma dieta.Hoje ele não gosta do que é saudável,não come frutas,e reclama quando não compro as guloseimas que ele gosta.O resultado do excesso de refrigerante,é que meu marido está sofrendo de gastrite erosiva.Se também ele tivesse me dado ouvidos,hoje ele não estaria assim.Quando se valoriza apenas o prazer,o preço a ser pago é caro.Mas posso evitar isso para meu filho enquanto ainda há tempo.

    Curtir

    • Nossa Mariluz, essa é uma das situações mais difíceis, quando a mãe está sozinha nesse caminho. Há muitas famílias que estão abertas ao diálogo e que, com um pouco de paciência repensam as práticas alimentares, mas há outras em que não há essa abertura e, muito pior que isso, não existe o respeito pelas escolhas daquela mãe.
      É triste e todos perdem com isso. Mas como você disse, não é causa perdida, pelo menos alguém está puxando a corda para um bom caminho e isso é melhor do que nada!

      Curtir

  2. Ívina, já estou sofrendo este tipo de assédio e meu filho nem nasceu.
    Sempre curti uma alimentação saudável, mas minha família já fala na minha cara que vai levar André, que nem nasceu, para comer chocolate, tomar refrigerante (que eu nem o pai bebemos), come rum prato de batatas fritas (que não comemos), enfim, todas as porcarias e me criticam… que não é para eu deixar o menino viver numa bolha… Às vezes fico tão fula que já evito frequentar algumas reuniões familiares.
    Meu baby nem nasceu e já estou vendo a guerra que terei que travar.

    Curtir

    • Nossa Helena, se está assim antes de nascer, dá pra ter medo do que virá!
      Eu vejo que cada pessoa tem um nível de abertura para o novo e para o diálogo, você deve conhecer a abertura da sua família para isso.
      Sou a favor de uma conversa franca, mas amorosa, em que se coloque claramente de quem é o poder de decisão sobre aquela criança. Cada um faz o que entende ser melhor para seus filhos e, na sua vez, não é possível que outros decidam por você ou passem por cima das suas escolhas.
      Mas no caso de não haver mesmo abertura, talvez o melhor seja manter uma distância segura, insistindo antes no diálogo.
      Estar cercada de pessoas que minam sua capacidade de maternar é dureza.
      Boa sorte pra vc!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s