Comidinhas de família – pernil da vovó Hilda

Eu amo cozinhar. Herdei o gosto da minha mãe. Comecei fazendo as receitinhas da família e depois me lancei na criatividade. Vivo testando novas receitas, experimentando temperos diferentes e até exóticos, mas volta e meia retorno às origens e faço uma daquelas receitinhas que tem gosto na boca e na memória.

Nesses tempos de festas de fim de ano eu chego a sentir o cheiro do pernil que minha avó materna assava em todos os natais. É um cheiro suave, carregado de lembranças da época em que nos reuníamos todos para celebrar. Saudades do meu avô que já se foi e da vovó que permanece, mas não mais nos reconhece.

Pernil assado é uma das receitas que mais me remete a essa época e é a receita do Comidinhas de família de hoje. Meu avô costumava providenciar mais de um pernil, um era para ceia e outro pra irmos beliscando durante todo o dia. Era um tal de abrir o forno e descascar o pernil…

No Natal de 2014 assei um a casa e foi muito bom! Compartilhei no Facebook um pouco da cultura mineira de comidas de Natal e, apesar da data já ter passado, vale a pena recordar:

“Hoje foi dia de temperar a carne da ceia de natal e na lista de ingredientes uma boa dose de recordações das histórias de natal da família Corrêa, minha família materna.
Lá nas Minas Gerais, de onde venho, essa onda de peru na mesa do natal é coisa recente. Há duas gerações o que se comia era o que o quintal produzia e a estrela da ceia era o porco, que seis meses antes tinha sua sina traçada.
Havia que se observar também a lua, pra juntar galo e galinha, esperar o cruzamento e escolher os ovos postos à chocar. Eram as galinhas que iriam pra panela em dezembro.
Legal pensar em quão simbólica e significativa era essa celebração, que rondava os pensamentos das pessoas desde o meio do ano.
Os preparativos eram minuciosos e a noite de natal uma grande festa de família.
Perdemos tanto… as tecnologias nos roubaram alguns prazeres. Hoje o peru assa em 30 minutos e gastamos mais tempo sozinhos em Shoppings na saga de zerar uma lista de compras que nos ocupando da celebração em si.
Pra reverenciar minha cultura mineira, da qual me orgulho muito, o prato principal da minha ceia é pernil de porco à moda da vovó Hilda.
E amanhã a casa vai cheirar a natal da vovó  e trazer saudades enormes do vovô Duca que tanto curtiu essa data e da grande família Corrêa que está em Minas Gerais!”

Pernil assado e fatiado – receita da vovó

Ingredientes – as quantidades de todos os ingredientes foram listadas para cada kg de carne. Assim fica fácil você fazer a proporção pelo tamanho do pernil.

  • Pernil de porco;
  • 1 cebola picada bem miudinha;
  • 1 dente de alho grande socado;
  • 1 colher de sobremesa de sal;
  • 1 pimenta dedo de moça socada;
  • Pimenta do reino a gosto;
  • 100g toucinho fresco em cubinhos.

Misturar tudo (eu uso um socador para amassar alho, pimenta e sal juntos), furar o pernil com uma faca de ponta e preencher os furos com esse tempero, fazendo com que chegue até o meio da carne. Os puristas dirão que não se deve furar a carne que vai ao forno para que não desidrate, mas nessa receita levar o tempero até o miolo da carne é o segredo e, como o recheio leva toucinho, a gordura dele derrete e umidece a carne por inteiro.

Para a marinada:

  • 1 e 1/2 xícara de vinagre de vinho branco;
  • 1/4 xícara de água;
  • 1/2 cebola fatiada em rodelas finas.

 pernilMisturar bem e colocar em um saco com fecho juntamente com o pernil. Deixar marinar por pelo menos 12 horas virando de vez em quando.

 

Retirar o pernil e reservar a marinada.

Pré-aquecer o forno a 250° por uns 10 minutos, colocar o pernil e deixar por mais 10 minutos para aquecer a carne. Abaixar para 180°. A partir daí, o tempo de forno é de, aproximadamente, uma hora e meia para cada quilo de carne. De hora em hora regar a carne com a marinada.

Quando pronto esperar cerca de 10 minutos pra fatiar. É o tempo que os líquidos precisam para se distribuírem e deixar tudo suculento. Fatiar finamente e servir.

20150926_124549

Sugestões

  • 20150926_124545Servir como proteína principal acompanhada de arroz branco, feijão tropeiro e couve refogada ou
  • Servir como entrada ou petisco recheando pão de queijo ou
  • Servir como lanche recheando um sanduíche com alface e fatias finas de tomate temperado com azeite e sal.

 

E como a receita é de família, Filipe, o Chefe, já está se inteirando dos preparativos e, especialmente, da degustação. O vídeo é de setembro de 2015 quando eles estava aprendendo a formular frases.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s