Abrindo espaço para outros atores na vinculação com o bebê/criança

Faltam 23 dias para dois aninhos e um dos maiores aprendizados desses últimos dois anos foi o de abrir espaço para que outros atores assumissem seus papéis na vida do Filipe.

Como mães tendemos a acreditar que somos únicas ou insubstituíveis, que o que fazemos por nossos filhos é sempre melhor que o que o pai, os avós ou os tios fazem e que nossa maneira de cuidar é perfeita. Mas a verdade é que, quanto mais concentramos a relação na figura materna, mais sobrecarregadas ficamos e menos chances damos aos que estão ao redor de estabelecer vínculos com os pequenos. Também é verdade que uma mãe de primeira viagem sabe tanto ou nada quanto o pai. A diferença é que a ela é dada a oportunidade de aprender errando, a ele não.

Dar um passo atrás e permitir que outros se aproximem não é tarefa fácil, mas é sim libertador para a mãe e enriquecedor para toda a família.

Eu não cheguei a essa conclusão da noite para o dia. Foi uma construção lenta e, confesso, dolorosa. Segue reflexão de um dos dias mais difíceis em que pensei sobre isso.

Postado no Facebook em 21 de janeiro de 2015

“E aqui estou eu, na sala de espera de um hospital com o coração menor que uma migalha de pão.
Filipe acabou de entrar pra fazer uma cirurgia. O procedimento é simples, a cirurgia eletiva, mas tem anestesia geral que exigiu preparação.
Todavia, coração miúdo não é por causa da cirurgia. É pelo difícil aprendizado de permitir que outros atores tomem espaço nos momentos importantes da vida do meu bebê.
Foi preciso um jejum de 8 horas e pra isso acontecer eu dormi em outro quarto pois não ia rolar jejum com o mamá dormindo ao lado.
A duras penas também conclui que seria melhor pra ele não me ver antes da cirurgia e no pós-operatório imediato, enquanto não pudesse mamar, porque certamente reivindicaria o peito e a negação da minha parte causaria ainda mais estresse.
Pensei em tanta coisa, em mudar de planos e entrar com ele ou ficar esperando no apartamento, pensei que sem mim seria mais difícil, que eu sou a única capaz de acalentá-lo, que meu lugar é ao lado do meu filho….
Mas o que esqueci de pensar é que existem outras pessoas à volta de Filipe que, assim como eu, são amorosas, prezam pelo bem estar dele, tem um colo quente e macio e uma voz suave capaz de niná-lo e dar a ele o conforto que ele precisa nas situações difíceis.
Aceitar que não sou a única com esses atributos dói, me quebra, me tira o poder, mas esse é um processo saudável que toda mãe precisará vivenciar pela saúde emocional de seus filhos.
Já ouvi muitas mães reclamarem da pouca participação dos pais nos primeiros anos de vida dos filhos, mas também assisti essas mesmas mães diminuindo ou dispensando as atitudes de participação deles. “Deixe que eu dou banho porque você não dá direito”, “deixe que eu troco porque você não põe a fralda direito”.
Sempre disse que não repetiria esse discurso que afasta os pais do cuidado com os bebês, mas nas primeiras semanas de vida de Filipe lá estava eu achando que fazia tudo melhor do que todos. A lembrança dos exemplos veio aos poucos e foi um enorme exercício deixar espaço para o pai e confiar na capacidade que ele tinha, ou talvez nem tivesse, mas foi construindo à medida em que teve oportunidade para tanto.
Reconhecer-me como uma e não a única figura de afeto de Filipe está sendo difícil, mas construtivo.
Agora ele acabou de sair do centro cirúrgico (sim, demorei uma cirurgia pra colocar em palavras o que se passa no meu coração). Está no quarto acordando ao lado do papai e do vovô que o amam tanto e a quem ele também ama.
E eu aqui de fora, tomando um café pra animar o corpo porque o coração já palpita à espera da liberação pra entrar e ama(r)mentar meu filhote.”

cirurgia

Filipe e vovô no pós-operatório em Janeiro de 2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s