Comidinhas de família – bolo seco de bananas ou maçãs

wp-1488984413513.jpgOntem o marido chegou do mercado com um saco de maçãs super vermelhas e um desejo: comer um bolo de maçãs.

Passei o expediente pensando em que receita faria e decidi matar as saudades de uma antiga, dada por uma amiga de minha mãe, que costumava alegrar as tardes com visitas lá em casa.

É um bolo diferente do convencional: um bolo seco, mas que fica úmido depois de assado. Pode ser feito com maçãs ou bananas caturras (banana d’água dependendo do lugar do Brasil em que você morar).

Aproveito pra explicar que tem que ser com essa banana, tá? Não invente de fazer com banana prata porque, ao assar, ela fica apertando na língua, além de não ter a quantidade de água da caturra e afetar a receita.

É um bolo mais doce do que os que geralmente compartilho aqui, mas o excesso, nesse caso, é necessário. Já tentei reduzir a quantidade de açúcar na receita e deu errado porque é ele quem ajuda a dar liga na massa.

Pode ser servido quente com chantilly ou com sorvete de creme. Ou dá pra comer frio com um cafezinho coado na hora. Nham….

Chega de enrolar e vamos à receita:

BOLO SECO DE BANANAS OU MAÇÃS

INGREDIENTES

  • 1 e 1/2 xícara de farinha de trigo peneirada;
  • 1 e 1/2 xícara de amido de milho peneirado;
  • 1 e 1/2 xícara de açúcar cristal ou demerara;
  • 1 xícara de aveia em flocos;
  • 1 xícara de farelo ou gérmen de trigo;
  • 2 colher de sopa de fermento em pó;
  • 1 colher de sobremesa de canela em pó;
  • 1 pitada de sal;
  • 1 xícara de manteiga ou margarina em temperatura ambiente;
  • 7 bananas caturras fatiadas ao comprido ou 5 maçãs vermelhas grandes;
  • uvas passas pretas sem semente (à vontade);
  • 3 ovos inteiros;
  • 1 xícara de leite;
  • canela e açúcar para finalizar.

PREPARO

Misture todos os ingredientes secos numa vasilha, acrescente a manteiga e amasse até formar uma farofa. Gosto de cortar a manteiga em cubos e amassar com as mãos. Hora das crianças se divertirem!

wp-1488984427253.jpg

Divida essa farofa em duas partes. Use uma para forrar uma assadeira retangular média. Sobre ela coloque as fatias de banana ou maçã, as uvas passas e polvilhe um pouco mais de canela.

wp-1488984440672.jpg

Cubra com o restante da farofa.

Bata os ovos na mão, como se fosse para omelete. Acrescente o leite e bata um pouco mais. Regue o bolo montado usando uma colher. Não despeje diretamente pra não abrir buracos na farofa.

wp-1488984448235.jpg

Polvilhe um pouco de açúcar e de canela e leve ao forno pré-aquecido a 180º por aproximadamente 40 minutos ou até corar.

Sirva quente com chantilly ou sorvete de creme, ou frio como um bolo normal.

wp-1488984452818.jpg

wp-1488984459026.jpg

Ele fica esfarelento, mas a fruta macia no meio dá o ponto ideal

 

Enquanto assa, desfrute do perfume de canela que vai invadir sua casa. Aqui, ele me transporta lá pra casa da minha mãe. O cheiro me traz de volta a imagem da D. Solange sentada no banquinho em frente à máquina de costura, com a fita métrica no pescoço, costurando enquanto me dava as coordenadas para preparar os bolos.

Aprendi com 7 pra 8 anos. Era tão pequena que subia num banquinho pra alcançar a bancada da cozinha e não tinha força pra virar a massa da vasilha para assadeira. Era nesse momento e para levar ao forno que mamãe se levantava do seu posto.

Trazer Filipe pra cozinha e dividir com ele os preparos dos bolos é uma deliciosa maneira de transmitir minha herança gastronômica de família. É reviver um pouco da minha infância e, por último, mas menos importante nesse cenário de memórias, uma forma de ensiná-lo sobre os processos. De permitir que ele perceba que as coisas não aparecem prontas, mas de saber como são feitas, com que ingredientes, de exercitar a paciência enquanto namora o vidro do fogão ou espera o bolo esfriar.

Além de tudo, o cheiro de bolo assando me traz conforto e aconchego, sensações preciosas nessa vida agitada de todo dia!

Para saber mais sobre a importância de permitir às crianças a vivência dos processos, leia esse artigo super interessante da página Ninguém Cresce Sozinho – Num mundo de processados, a criança não aprende o que é processo.

E para saber mais sobre a construção de memórias afetivas e significativas em família, leia o texto que partilhei aqui sobre o assunto Construindo memórias de família.

E conta pra gente que comida tem a capacidade de te transportar pra sua infância ou aquela receita que você adora fazer em família!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s